na mídia

  • Palestra sobre Sagarana

    A obra de Guimarães Rosa, publicada em 1946, foi apresentada por Matheus Arcaro no Sesc Birigui em agosto de 2018.

  • Flip 2018

    Na Feira Literária Internacional de Paraty de 2018, na Casa do Desejo, Matheus participou da Mesa Redonda “Transgressão, niilismo, filosofia: a arte como provocação visceral da condição humana”.

  • Exposição coletiva UAI

    União dos artistas plásticos Independentes, de Ribeirão Preto, fez exposição coletiva em agosto de 2018. Matheus Arcaro participou com a obra “Mulheres da noite”.

  • A culpa que remove montanhas

    (Por Sérgio Tavares, originalmente no portal A nova crítica) Matheus Arcaro se utiliza da culpa como instrumento de condução dos personagens de Amortalha. Em sua segunda coletânea de contos, o escritor paulista, graduado em filosofia, explora o conjunto de condições que forma a consciência penosa, por meio de tramas que se desenvolvem a partir de fraturas […]

  • Matéria no jornal A Cidade

    Lançamento do livro Amortalha foi capa do caderno de cultura do jornal de maior circulação em Ribeirão Preto.

  • Dando nome às coisas

    (Resenha originalmente publicada no blog do Cassionei) O escritor Matheus Arcaro me enviou seu primeiro livro de contos com uma dedicatória provocativa: “que meu jardim de papel possa emprestar perfume aos minutos que você dedicar à leitura”. Perfume? Como sentir perfume ao ler histórias tão contundentes, doloridas, violentas, tristes? Jardim? Só se o jardim estiver […]